Judiciário de Mato Grosso estuda as ordens sistêmicas aplicadas às organizações

Magistrados participam de curso de Direito Sistêmico no Mato Grosso.

As constelações familiares e organizacionais têm sido utilizadas na busca pelo equilíbrio nos relacionamentos e sua aplicação no Judiciário pode ser ampla, já existindo inclusive experiências em varas de Família, nas questões envolvendo crianças e adolescentes e na solução de ocorrências em varas criminais.

Também as organizações constituem um sistema, regido por ordens sistêmicas superiores que atuam sempre, desde as dinâmicas entre empresas e instituições em geral e destas com seus clientes até as relações internas entre os sócios, chefes e empregados, destes com os produtos e serviços oferecidos, com os consumidores, etc.

O conhecimento das constelações aplicado no âmbito das organizações pode ajudar na solução de questões judiciais envolvendo empresas, e nos tribunais pode também facilitar que se encontre uma ordem harmônica, produtiva e benéfica para a instituição, seus servidores e a comunidade atendida.

A reportagem trata do Curso Básico de Direito Sistêmico, que teve seu 4º módulo (“Sistemas Organizacionais”), e conta com depoimentos de Sami Storch, professor do curso, e de juízes e servidores do Judiciário de Mato Grosso.

Sobre Sami Storch

Juiz de Direito no Estado da Bahia, atualmente em exercício na Comarca de Itabuna. Graduado na Faculdade de Direito da USP, Mestrado em Administração Pública e Governo (EAESP-FGV/SP) e Doutorando em Direito na PUC-SP, com tese em desenvolvimento sobre o tema "Direito Sistêmico: a resolução de conflitos por meio da abordagem sistêmica fenomenológica das constelações familiares". Cursei diversos cursos de formação e treinamentos em Constelações Sistêmicas Familiares e Organizacionais segundo Bert Hellinger e hoje coordeno e leciono no Curso de Pós-Graduação Hellingerschule de Direito Sistêmico pela Faculdade Innovare. Desde 2006, venho ministrando palestras e workshops de constelações familiares e obtendo altos índices de conciliações com a utilização dos princípios e técnicas das constelações sistêmicas para a resolução de conflitos na Justiça. Meu foco é a aplicação prática, no exercício das atividades judicantes, dos conhecimentos e técnicas das constelações familiares. O objetivo é utilizar a força do cargo de juiz para auxiliar na busca de soluções que não apenas terminem o processo judicial, mas que realmente resolvam os conflitos, trazendo paz ao sistema. Contato: direitosistemico@gmail.com
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Judiciário de Mato Grosso estuda as ordens sistêmicas aplicadas às organizações

  1. Pingback: Judiciário de Mato Grosso estuda as ordens sistêmicas aplicadas às organizações – Constelações Sistêmicas segundo Hellinger

  2. Pingback: O que vem a ser Direito Sistêmico? – Por Ana Tarna dos Santos Mendes e Gabriela Nascimento Lima

  3. Tudo é sistêmico, mas discordo quanto à existência de uma abordagem que se possa chamar Direito Sistêmico. O que assim é chamado é tão somente a aplicação das Constelações Sistêmicas Fenomenológicas Familiares em situações [sempre sistêmicas] pessoais dentro do Judiciário, podendo ser aplicadas em qualquer vara: família, penal, tributária etc., com a finalidade de verificar emaranhamentos sistêmicos que levaram a um determinado conflito. Independente do ramo do Direito, tudo tem sua origem no Sistema Familiar…O mesmo se pode afirmar com relação ao que se chama Pedagogia Sistêmica e Constelações Organizacionais (ou Empresariais). A base será sempre a Família. Não questiono a eficácia da abordagem, mas o “batismo” como Direito Sistêmico.

    Curtir

    • Sami Storch disse:

      Caro Carlos Alberto, grato pelo comentário! É um tema que admite mais de uma compreensão e compreendo a tua. Mas, quando busquei um nome para este blog e este tema, não encontrei nenhum já existente que dissesse respeito especificamente à aplicação das leis sistêmicas segundo Bert Hellinger ao campo jurídico, incluindo a análise das leis positivadas (e da eventual necessidade de mudanças em seu teor, interpretação e aplicação) à luz dos princípios Hellingerianos. O mesmo em relação à utilização das ordens da ajuda objetivando maior eficácia na atuação dos profissionais do meio jurídico.

      Assim, o conceito de Direito Sistêmico inclui as constelações aplicadas em questões jurídicas, dentro do Judiciário ou não, pois as constelações estão diretamente ligadas às compreensões de Hellinger que são a base do Direito Sistêmico. Mas este não se restringe às constelações, além de pressupor uma ênfase e um contexto próprios.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s