Constelações na Justiça do Mato Grosso (reportagem da TV Globo)

O direito sistêmico começa a se multiplicar: projeto da juíza Jaqueline Cherulli (TJ-MT) usando constelações com pessoas envolvidas em processos de família teve início nesta semana, com sucesso, e foi objeto dessa excelente reportagem da Rede Globo (siga o link):

http://g1.globo.com/mato-grosso/bom-dia-mt/videos/t/edicoes/v/tecnica-da-constelacao-familiar-e-usada-para-resolver-conflitos-na-justica/4390401/

Sobre Sami Storch

Juiz de Direito no Estado da Bahia, atualmente em exercício na Comarca de Itabuna. Graduado na Faculdade de Direito da USP, Mestrado em Administração Pública e Governo (EAESP-FGV/SP) e Doutorando em Direito na PUC-SP, com tese em desenvolvimento sobre o tema "Direito Sistêmico: a resolução de conflitos por meio da abordagem sistêmica fenomenológica das constelações familiares". Cursei diversos cursos de formação e treinamentos em Constelações Sistêmicas Familiares e Organizacionais segundo Bert Hellinger e hoje coordeno e leciono no Curso de Pós-Graduação Hellingerschule de Direito Sistêmico pela Faculdade Innovare. Desde 2006, venho ministrando palestras e workshops de constelações familiares e obtendo altos índices de conciliações com a utilização dos princípios e técnicas das constelações sistêmicas para a resolução de conflitos na Justiça. Meu foco é a aplicação prática, no exercício das atividades judicantes, dos conhecimentos e técnicas das constelações familiares. O objetivo é utilizar a força do cargo de juiz para auxiliar na busca de soluções que não apenas terminem o processo judicial, mas que realmente resolvam os conflitos, trazendo paz ao sistema. Contato: direitosistemico@gmail.com
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Constelações na Justiça do Mato Grosso (reportagem da TV Globo)

  1. MARCELE BARABACH FERREIRA DE LIMA disse:

    Incrível mesmo.
    Sabemos que a justiça, do jeito que está posta, não tem como persistir, e as constelações são um excelente método, notadamente diante da entrada em vigor do novo CPC, em 2016.
    Mas com diz o Sami, “precisamos honrar tudo o que nosso judiciário já fez e passou, para então seguir em frente” (Palavras proferidas no Seminário com Bert Hellinger, São Paulo, agosto/2015). Meu grande aprendizado!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s