Vivência de constelações familiares no Fórum de Castro Alves/BA

Olha que legal a divulgação que o Tribunal de Justiça da Bahia deu pra experiência que promovemos na comarca!

Fonte: Site do TJ-BA (http://www5.tjba.jus.br/index.php?option=com_content&view=article&id=92296:palestra-vivencial-estimula-conciliacao-em-questoes-familiares-na-comarca-de-castro-alves&catid=55:noticia&Itemid=202)

Palestra vivencial estimula conciliação em questões familiares na Comarca de Castro Alves PDF Imprimir E-mail
Ter, 23 de Outubro de 2012 08:00
Antes de comparecer ao fórum do município de Castro Alves, no interior baiano, no dia 18 de outubro, a dona de casa Edilene Alves sequer falava com Gilson Conceição, pai de seu filho. Com audiência de conciliação marcada para 5 de novembro, primeiro dia da Semana Nacional de Conciliação (SNC) do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), Edilene compareceu apenas para assistir a uma palestra ministrada pelo juiz da comarca, Sami Storch.

Alguns momentos após o evento, Edilene e Gilson já conversavam em frente ao fórum. Minutos depois, assinavam a ata da audiência de conciliação antecipada, firmando o acordo de pensão alimentícia. Com o conflito resolvido amigavelmente, os dois esbanjavam satisfação. “Acho que conseguimos chegar num consenso”, revelou aliviada Edilene.

Edilene e Gilson são apenas duas das cerca de 80 pessoas que assistiram e foram tocadas pela palestra vivencial “A separação de casais, os filhos e o vínculo que nunca se desfaz”, do magistrado Sami Storch. A partir da lista de processos que integrarão a SNC, o juiz selecionou 71 ações judiciais da área de Família, envolvendo separações, divórcios e pensões alimentícias, e convidou as partes para o evento no Salão do Júri do Fórum Desembargador Clóvis Leone.

Uma sessão preparatória para a Semana Nacional da Conciliação, o evento teve outro importante objetivo: conscientizar as pessoas – autoras e rés – de que as verdadeiras soluções para as questões familiares dependem da melhoria nos relacionamentos e do verdadeiro entendimento entre cada um dos envolvidos. Para tanto, o magistrado utilizou um método psicoterapêutico, de abordagem sistêmica fenomenológica, desenvolvido pelo filósofo e psicoterapeuta alemão Bert Hellinger: as Constelações Familiares.

Após a abertura do evento, no qual enfatizou que o “hoje não é dia de julgar, mas de conciliar, e um momento dedicado à meditação, o juiz convidou um casal de ex-cônjuges e quatro voluntários ao palco. Representando o casal em processo de divórcio e seus dois filhos, os voluntários compuseram a constelação familiar, cujo objetivo é identificar, através dos representantes, a dinâmica entre os membros da família do casal, seus conflitos, e a influência que as gerações passadas e seus problemas tiveram ou têm sob os indivíduos.

Uma verdadeira terapia conciliatória, a constelação familiar permitiu às partes compreender melhor a origem do conflito, e conseqüentemente, se entenderem melhor. “Eu posso dizer que entendi e aprendi a lidar melhor com os nossos problemas e o divórcio”, revelou emocionada a manicure Eliana de Jesus. Seu ex-companheiro também não conteve as lágrimas depois de participar da dinâmica: “Foi muito interessante. Eu sinto que estou mais próximo dela, e mais disposto para a conciliação”, declarou Edvando Cruz.

“Traz uma forma diferente para as pessoas refletirem sobre a situação familiar, que às vezes é tratada tão bruscamente”, comentou Joilson Jesus. O voluntário que representou o filho dos ex-cônjuges, Joilson não escondeu o entusiasmo com a palestra e a dinâmica: “Acredito que o que aconteceu aqui vai levá-los a uma mudança. Eu já estou pensando em como posso levar isso para a comunidade”, revelou o agente comunitário de saúde, que também é líder de um sindicato local.

“Essa sessão conciliatória não só vai facilitar os acordos para a conciliação, mas também vai proporcionar o efetivo entendimento entre as pessoas”, afirmou o juiz Sami Storch. “Ela pode ter servido para aumentar o reconhecimento do vínculo entre as pessoas envolvidas na ação e conscientizá-las de que elas precisam estar juntas de alguma forma para lidar com os filhos. Elas precisam se entender” enfatizou o magistrado.

Um evento inaugural, a palestra vivencial é mais um exemplo das iniciativas desenvolvidas pelos magistrados e servidores do Poder Judiciário baiano para promover a pacificação social na sociedade. Uma ação que difunde a resolução dos conflitos de maneira mais humana e amigável, a palestra também dá força ao movimento pela conciliação.

“Qualquer novidade demora um tempo para ser plenamente aceita. Considerando isso, eu vejo que a receptividade foi boa. Espero que as pessoas possam ter aproveitado”, disse Sami Storch. “Dependendo da aceitação que eu observar, posso fazer um grupo semanal ou mensal com a população, para, gradualmente, ir promovendo esse entendimento no seio da comunidade, evitando a cultura do litígio e aumentando a cultura da paz”, concluiu o magistrado.

Texto e foto: Ascom

 

 

http://www5.tjba.jus.br/index.php?option=com_content&view=article&id=92296:palestra-vivencial-estimula-conciliacao-em-questoes-familiares-na-comarca-de-castro-alves&catid=55:noticia&Itemid=202

Sobre Sami Storch

Juiz de Direito no Estado da Bahia, atualmente em exercício na Comarca de Itabuna. Graduado na Faculdade de Direito da USP, Mestrado em Administração Pública e Governo (EAESP-FGV/SP) e Doutorando em Direito na PUC-SP, com tese em desenvolvimento sobre o tema "Direito Sistêmico: a resolução de conflitos por meio da abordagem sistêmica fenomenológica das constelações familiares". Cursei diversos cursos de formação e treinamentos em Constelações Sistêmicas Familiares e Organizacionais segundo Bert Hellinger e hoje coordeno e leciono no Curso de Pós-Graduação Hellingerschule de Direito Sistêmico pela Faculdade Innovare. Desde 2006, venho ministrando palestras e workshops de constelações familiares e obtendo altos índices de conciliações com a utilização dos princípios e técnicas das constelações sistêmicas para a resolução de conflitos na Justiça. Meu foco é a aplicação prática, no exercício das atividades judicantes, dos conhecimentos e técnicas das constelações familiares. O objetivo é utilizar a força do cargo de juiz para auxiliar na busca de soluções que não apenas terminem o processo judicial, mas que realmente resolvam os conflitos, trazendo paz ao sistema. Contato: direitosistemico@gmail.com
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Vivência de constelações familiares no Fórum de Castro Alves/BA

  1. conça barreto barreto disse:

    RECEBIDO, MUITO OBRIGADA PELA OPORTUNIDADE EM PARTICIPAR. O LIVRO JÁ CHEGOU- CHEGOU HOJE. ” A SIMETRIA OCULTA DO AMOR”

    Curtir

  2. Ivete Couto disse:

    Adorei saber que existe alguém como o Sr Sami Storck. Gostaria de conhecê-lo mais de perto para trocarmos experiências. Eu também atuo ajudando pessoas a despertarem e viverem de forma diferente. Parabéns!

    Curtir

  3. Pingback: Constelações Familiares na Vara de Família viabilizam acordos em 91% dos processos | Direito Sistêmico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s